Mato Grosso trabalha a implementação da certificação na cadeia de produtos madeireiros

Áreas de Manejo Florestal Sustentável (MFS) em Mato Grosso alcançam 5,025 milhões de hectares em propriedades privadas, gerando 7 milhões de metros cúbicos (m³) de madeira por ano. Essa produção, proveniente de Planos de Manejo Florestal Sustentável (PMFS), segue critérios rígidos da legislação ambiental e garante origem, rastreabilidade e qualidade.

Segundo a Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema), há potencial para expansão, alcançando 7 milhões de hectares de florestas manejadas no estado. Essa iniciativa, crucial em meio à crise climática, concilia a preservação ambiental com o desenvolvimento socioeconômico, gerando 12.712 mil empregos formais nas atividades de base florestal.

O setor florestal de Mato Grosso busca implementar um modelo de certificação que assegure maior segurança ao mercado na aquisição de produtos madeireiros. Através do sistema de cadeia de custódia, a origem da madeira nativa é rastreada desde a floresta até o consumidor final, utilizando ferramentas como o Sisflora 2.0 e o DOF+ Rastreabilidade.

Liderança do Cipem, FNBF e Fiemt: Centro das Indústrias Produtoras e Exportadoras de Madeira do Estado de Mato Grosso (Cipem), Fórum Nacional de Base Florestal (FNBF) e Federação das Indústrias de Mato Grosso (Fiemt) lideram essa iniciativa, beneficiando o setor em todo o país. O objetivo é criar um mecanismo de certificação que ateste a procedência e qualidade da madeira mato-grossense, desde a madeira serrada até o produto acabado, especialmente para os mercados europeus, mais exigentes em relação à certificação.

Norma ABNT PR 1020: Lançada em abril, a Prática Recomendada ABNT PR 1020 – Manejo de floresta tropical nativa valoriza o manejo florestal sustentável e estabelece os procedimentos para obter a certificação. Essa iniciativa garante a criação de um selo de certificação de origem dos produtos, endossado pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

O setor florestal de Mato Grosso demonstra seu compromisso em ampliar a comercialização da produção florestal. O certificado emitido pela ABNT, além de aumentar a confiabilidade e segurança da madeira mato-grossense, tornará os produtos florestais mais competitivos, em conformidade com as normas de regulação do comércio e indústria.

O avanço na certificação florestal em Mato Grosso demonstra o compromisso do setor com a sustentabilidade, a rastreabilidade e a competitividade. Essa iniciativa contribui para a preservação ambiental, o desenvolvimento socioeconômico e a consolidação do estado como referência na produção de madeira de alta qualidade.

Palavras-chave: Manejo Florestal Sustentável, Certificação Florestal, Rastreabilidade, Competitividade, ABNT PR 1020, Cipem, FNBF, Fiemt, Sisflora 2.0, DOF+ Rastreabilidade, Produção Florestal, Mato Grosso.