ILPF: Fazenda no Paraná produz madeira e cevada

Localizada em Tibagi/PR, a Fazenda Pousada dos Gaúchos é um exemplo emblemático da integração entre diferentes atividades agrícolas que visam não apenas a produtividade, mas também a sustentabilidade ambiental. Sob a gestão do produtor Ivo Carlos Arnt Filho, a propriedade se destaca pela adoção da integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF), um modelo que vem ganhando espaço na agricultura brasileira.

Em dezembro de 2023, a fazenda realizou a primeira colheita de cevada na área, que foi plantada intercalada ao plantio de eucalipto. Essa prática, conhecida como ILPF, permite a combinação harmoniosa de diferentes culturas e atividades, resultando em benefícios econômicos e ambientais significativos.

O cultivo da cevada foi realizado em duas áreas distintas: uma em monocultivo e outra em integração com o eucalipto. As condições de solo, fertilidade e manejo eram semelhantes em ambas as áreas. No entanto, um evento climático atípico, uma onda de calor intensa em agosto de 2023, causou uma quebra na produção. Surpreendentemente, as perdas foram menores na área com integração florestal, sugerindo um possível efeito de conforto térmico proporcionado pelas árvores.

Enquanto na área de plantio puro foram colhidos 1.400 kg/hectare de cevada, adequada apenas para ração animal, na área de integração com eucalipto foram colhidos 2.000 kg/hectare, com o grão viável para produção de cerveja. Esses resultados indicam não apenas uma maior produtividade, mas também uma melhor qualidade do grão em áreas com integração florestal.

O pesquisador Vanderley Porfírio-da-Silva, da Embrapa Florestas, destaca a importância desses resultados e aponta para a possibilidade de as árvores terem modificado as condições microclimáticas, minimizando os impactos do calor na produção agrícola. Além disso, ele ressalta que a presença das árvores pode proteger as culturas em caso de eventos climáticos extremos, como o El Niño.

ILPF PR

A fazenda faz parte de um projeto de pesquisa da Embrapa Florestas em parceria com a Klabin, intitulado “Modelo silvipastoril para celulose e ‘carne baixo carbono‘”, que explora a ILPF de forma inovadora. Enquanto a maioria dos produtores adota a tecnologia para a produção de toras de madeira, o projeto estuda o manejo florestal para a produção de biomassa para indústrias como papel e celulose.

O manejo para biomassa envolve uma maior densidade de árvores e não inclui práticas como desrama e desbaste, visando obter um maior volume de biomassa por área. Essa abordagem representa uma nova perspectiva na utilização dos recursos florestais, contribuindo para a produção sustentável de papel e celulose.

O produtor Ivo destaca a importância desse modelo integrado, que proporciona não apenas benefícios econômicos, mas também ambientais. Ele enfatiza que o planejamento é fundamental para o sucesso da ILPF, incluindo a definição de distâncias entre renques de árvores, espécies a serem plantadas, níveis de sombreamento e logística operacional.

Além dos ganhos econômicos e ambientais, a integração lavoura-pecuária-floresta também contribui para uma melhor qualidade de pastagem e aumento da produtividade pecuária. Com o manejo adequado do solo e a adoção de tecnologias, é possível obter uma produção sustentável de carne bovina de baixo carbono, atendendo às demandas do mercado por alimentos mais sustentáveis.

O projeto visa estabelecer diretrizes para um sistema de produção integrado que concilie a produção de madeira para celulose e a produção de carne bovina na mesma área. Essa abordagem representa um avanço significativo na busca por sistemas de produção mais sustentáveis e eficientes, alinhados com as demandas do mercado e as necessidades ambientais.

No caso da Fazenda Pousada dos Gaúchos, a integração lavoura-pecuária-floresta tem se mostrado promissora, proporcionando resultados positivos em termos de produtividade, qualidade dos produtos e sustentabilidade ambiental. Essa experiência serve como exemplo para outros produtores que desejam adotar práticas mais sustentáveis em suas propriedades rurais. O planejamento cuidadoso, o manejo adequado dos recursos naturais e a busca por parcerias estratégicas são fundamentais para o sucesso da ILPF e para a construção de um futuro agrícola mais sustentável e produtivo.